Registro do processo de trabalho de docentes da rede pública, estudantes e pesquisadores de artes visuais: - Investigação de procedimentos fotográficos históricos e artesanais em relação com o ensino da arte; / - Reflexão sobre a relação entre processo educativo, fotografia, arte, tecnologia e produção e circulação da imagem fotográfica na contemporaneidade; / - Expressão artística do grupo.

Percurso de trabalho relatado pelos bolsistas: 2018 - Fernando de Sousa Rodrigues (EBA/PIBIC/Coordenação), Daniela Schmidt Castro (EBA/Profaex), Gabriel Amorim Ribeiro (Letras/Profaex), Rafael (EBA/PIBIAC), Isabel (Letras/PIBIAC), Alice Branquinho (CAp/PIBIC-EM), Isabela Magalhães (CAp/PIBIC-EM) / 2017 - Fernando de Sousa Rodrigues (PIBIC), Romulo Andrade de Oliveira (PIBIAC), Luiz Henrique Duarte (PIBIAC), Myllena Araujo (PIBEX), Ramon de Oliveira Fonseca Filho (PIBIC-EM). / 2016 - Alineleni Yuma, Fernanda Almeida (PIBIC-EM), Fernando de Sousa Rodrigues (PIBIAC), Luiz Henrique Duarte (PIBIAC), Myllena Araújo (PIBEX Especial), Ramon de Oliveira Fonseca Filho (PIBIC-EM), Ricardo Kranen (FAU/PIBIC), Thiago Ortiz / 2015 - Alineleni Yuma (PIBIC), Barbara Borges (DireçãoTeatral/PIBIAC), Fernanda Almeida (PIBIC-EM), Fernando de Souza Rodrigues (PIBIAC), Luiz Henrique Duarte (PIBIAC), Myllena Araújo (PIBIAC), Ricardo Kranen (FAU/PIBIAC), Thiago Ortiz (PIBIAC) / 2014 - Alineleni Yuma (PIBIC), Maytê Lyrio, Quesia Alves, Rafael Ribeiro (PIBIAC) / 2013 - Fabricio Delesderrier (PIBEX), Ester de Barros, Leandro Farias, Maytê Lyrio e Thayssa Conti (PIBIAC).

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Módulo II - 1° Encontro

O segundo módulo do “Investigações Fotográficas” que acontece às quartas no CAp - UFRJ,  no horário de 17 a 20h30, desta vez terá cerca de 6 encontros.  Curso dedicado a professores, graduandos e artistas, neste módulo o enfoque será na elaboração de projetos autorais.
Nossa professora convidada, Claudia Elias, neste primeiro encontro falou sobre os caminhos, desdobramentos e planos deste módulo II.  Houve apresentação dos participantes (desde nome, aos projetos que eles visam desenvolver no curso), debatemos sobre algumas questões que circundam a fotografia e a arte contemporânea.

Trabalharemos a partir dos temas propostos na coleção TEMAS DA ARTE CONTEMPORÂNEA de Katia Canton:
-Narrativas Enviesadas
-Tempo e Memória
-Corpo, Identidade e Erotismo
-Da Política às Micropolíticas
-Espaço e Lugar


Algumas perguntas dispositivos para pensar o projeto:
Qual questão você quer trabalhar? Qual sua questão no mundo? Como afetar o outro com seu trabalho?
Como tornar visível coisas que estão engasgadas?
Quais (artistas-filmes-livros) se assimilam a suas ideias?

Indicações de Exposições :   
Caixa cultural - RJ.  Mostra Bienal Caixa de Novos Artistas. Exposição coletiva que contém o trabalho da Claudia Elias, “Estrangeiro em mim”.
Mais detalhes em: http://www.caixacultural.com.br/SitePages/evento-detalhe.aspx?uid=6&eid=1177

Oi Futuro - Flamengo. Fotografia Expandida. Denise Cathilina.  
Mais detalhes em: http://www.oifuturo.org.br/evento/fotografia-expandida-2/

Bibliografia sugerida:
CANTON, Katia. Do Moderno ao Contemporâneo. São Paulo: Ed. WMF Martins Fontes, 2009. (Coleção Temas da Arte Contemporânea).
___________. Narrativas Enviesadas. São Paulo: Ed. WMF Martins Fontes, 2009.
___________. Tempo e Memória. São Paulo: Ed. WMF Martins Fontes, 2009.
___________. Corpo, Identidade e Erotismo. São Paulo: Ed. WMF Martins Fontes, 2009. ___________. Da Política às Micropolíticas. São Paulo: Ed. WMF Martins Fontes, 2009. ___________. Espaço e Lugar. São Paulo: Ed. WMF Martins Fontes, 2009.


domingo, 17 de julho de 2016

Encontro X - Módulo I



[Em construção! Em breve o conteúdo será disponibilizado]








You are the Weather, 1994-1996









Primeira instalação fotográfica de Roni Horn, You Are The Weather (1994-1996), um ciclo fotográfico com 100 fotos em close-up da mesma mulher, Margret, em uma variedade de piscinas geotérmicas da Islândia, lida com o enigma da identidade capturada através uma série de expressões faciais ditada pelo tempo imperceptível.


Bird
Twenty paired photographs, 22 x 22 inches each







Still Water (The River Thames, for example), 1999
Thirty-six gelatin silver prints and sixty-four chromogenic prints, 10.5 x 8.5 inches each
































The Cabinet Of (2001)
36 C-print Photographs













































































sábado, 9 de julho de 2016

Investigações fotográficas - Oficina Experimental de Fotografia - 09/07/2016


Veronica de Almeida Soares - diafragma mais fechado

Veronica Soares de Almeida - diafragma mais aberto





































[Aguardando as fotos dos demais cursistas - sequências fotográficas com variação do diafragma / profundidade de campo]


Curso de extensão Investigações Fotográficas - 2016.1 - Saída fotográfica em 9 de julho

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Encontro IX - Módulo 1



A fotógrafa francesa Sophie Calle, nascida em 1953desenvolve uma estética que parte do registro do cotidiano, onde levanta questões da fronteira entre o público e o privado. Suas imagens são de pequeno formato buscando uma ligação íntima com o espectador.

Suíte Veneziana -  1979 



"Eu seguia desconhecidos na rua. Pelo prazer de os seguir e não que eles me interessassem. Eu os fotografava sem que eles soubessem, anotava seus deslocamentos, em seguida, finalmente, os perdia de vista e os esquecia. No fim do mês de janeiro de 1980, nas ruas de Paris, segui um homem de quem perdi a pista alguns minutos depois na multidão. Na mesma noite, numa recepção, totalmente por acaso, ele me foi apresentado. Durante a conversa, ele me participou de um projeto eminente de viagem à Veneza. Eu decidi então me ligar aos seus passos, segui-lo."


 The HotelRoom 47 - 1981




The Sleepers (Les dormeurs) | 1970






"O que me agradava era ter em minha cama gente que eu não conhecia (...) Ver como dormiam, como se moviam, se falavam, sorriam. (...) Vir dormir no meu leito. Deixar-se fotografar. Responder a algumas perguntas. (...) ao se tratava de saber, de pesquisar, senão de estabelecer um contato neutro e distante. eu tomava fotos todas as horas. Observava meus convidados dormindo."



Aveugles - 2011



"Encontrei pessoas que são cegas de nascença.
Que jamais viram.

Perguntei-lhes qual era para elas a imagem da beleza."


 Voir la Mer - 2011






"Em Istambul, uma cidade cercada pelo mar, Encontrei pessoas que nunca o tinham visto.
Eu filmei a primeira vez deles. Trouxe-os para o Mar Negro.
Eles vieram à beira d’água, separadamente, olhos baixos, fechados ou vedados.
 Eu fiquei atrás deles. Pedi-lhes para que olhassem o mar e então se virassem em minha direção para mostrar-me os olhos que tinham acabado de ver o mar pela primeira vez. "


Prenez soin de Vous - CUIDE-SE





"Eu recebi um email de ruptura. Eu não soube responder.
Era como se não fosse destinado a mim.
Terminava com as palavras: Prenez soin de vous. Cuide-se.
Tomei esta recomendação ao pé da letra.
Pedi a cento e sete mulheres  ... -,
escolhidas por seus ofícios, seus talentos, que interpretassem
a carta sob um ângulo
profissional.
Analisá-la, comentá-la, jogá-la, dançá-la,
cantá-la.
Dissecá-la. Esgotá-la. Compreender por mim.
Falar em meu lugar.
Uma forma de ganhar tempo de rompimento. No meu ritmo.
Cuidar-me."

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


ISO é a sensibilidade do filme - ou, no caso da fotografia digital, do sensor – à luz.

Quanto menor o ISO, menor é a sensibilidade à luz. Consequentemente, é preciso muito mais luz para a fotografia ficar equilibrada.

Quanto maior o ISO, mais o sensor de imagem é sensível a luz, portanto, a possibilidade de tirar fotografias em situações de baixa luz é maior.